O retrato do paraíso negro


retrato virtual

4SlbF8UjMWxl_phixr

Além daquela colina, existia um jardim secreto.

O lugar era preenchido por um gramado verde vivo e por flores de todos os tipos.

Ao atravessar o grande portão que protegia o local, fui até ao centro do jardim e me deparei com uma árvore com maças vermelhas e rechonchudas. Movido pelo desejo, retirei um fruto do galho e dei uma mordida. O sulco doce escorreu pela minha boca e pingou na grama fresca. O sabor era ótimo e fazia-me querer mais e mais.

Olhei para o alto e contemplei um céu azul, sem nenhum vestígio de nuvens. O sol radiava brilhante nas alturas, enquanto pássaros voavam livremente pela imensidão. Num rompante, a minha visão escureceu e eu caí no gramado, com os braços estirados para os lados. Um devaneio invadiu a minha mente e me fez pensar sobre o que acontecia além daquele jardim. Eu estava contemplando o doce sabor…

Ver o post original 302 mais palavras

Anúncios
O retrato do paraíso negro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s